Guia de primeiros socorros

Os primeiros socorros são técnicas e condutas aplicadas em situações de emergências às vítimas de acidentes, mal-súbitos ou em algum perigo de vida. Os procedimentos aplicados são capazes de diminuir o sofrimento, evitar sequelas ou complicações e, até mesmo, salvar vidas.

Pensando na importância de conhecer os primeiros socorros básicos, a Brasil Emergências Médicas separou neste Guia de Primeiros Socorros alguns dos principais procedimentos capazes de garantir à vítima o suporte necessário até a chegada de atendimento médico.

Saiba mais sobre ambulancia 24 horas

Parada respiratória

A parada respiratória corresponde a interrupção dos batimentos cardíacos e movimentos respiratórios, podendo levar a sequelas graves e até morte do indivíduo.

Causas:

  • Traumatismo;
  • Problemas cardíacos;
  • Grandes hemorragias;
  • Dificuldade para respirar;
  • Intoxicação e envenenamento graves;

Sintomas

  • Ausência de pulsação;
  • Inconsciência;
  • Ausência de movimentos respiratórios.

Quais os primeiros socorros:

  • Primeiro, chame socorro especializado para atendimento como SAMU (192) ou serviço de atendimento de emergências particular, como a Brasil Emergências Médicas;
  • Deite a pessoa em uma superfície plana e dura e dê início ao procedimento de massagem cardíaca;
  • Verifique se existe obstrução da via respiratória.

Como realizar a massagem cardíaca de maneira adequada:

  • Se a pessoa não foi vítima de trauma, incline a cabeça dela para trás, para facilitar o fluxo de ar;
  • Trace uma linha imaginária entre os dois mamilos e, com as mãos espalmadas, pressione 15 vezes o tórax exatamente no meio desta linha;
  • A massagem cardíaca deve ser mantida até a chegada do serviço de emergência.

Quedas

As quedas, apesar de mais frequentes e idosos, podem acontecer com qualquer pessoa e causar lesões graves, fraturas e traumatismo encefálico (TCE).

Como agir:

Primeiramente, é importante verificar os seguintes fatores:

  • A pessoa está consciente?
  • Faça perguntas que ela poderia responder facilmente, como o nome, a data, etc.
  • Tem sangramento?
  • Sente dor?
  • Consegue movimentar-se?

Caso a pessoa esteja desacordada, confusa, com grande sangramento ou dor intensa que limite a movimentação de alguma parte do corpo, chame o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ou serviço de ambulância particular. Telefone do SAMU: 192

Queimaduras

As queimaduras são lesões causadas principalmente por eletricidade, fogo ou produtos químicos. De acordo com o Ministério da Saúde cerca de 1 milhão de pessoas acabam sofrendo algum tipo de queimadura anualmente.

Elas podem ser classificadas em diferentes graus, de acordo com a gravidade:

  • Queimaduras de 1º grau: lesões mais superficiais;
  • Queimaduras de 2º grau: formações de bolhas;
  • Queimaduras de 3º grau: danifica a pele, a ponto de expor músculos e/ou ossos.

Os primeiros socorros são importantes para prevenir infecções e agravamento do caso.

Como agir:

  • Lave o ferimento com água corrente;
  • Retire objetos como anéis, pulseiras e relógios, pois pode haver inchaço na região;
  • Cubra a região com pano limpo;
  • Nunca utilize pastas de dente, pomadas, clara de ovo, manteiga, óleo de cozinha ou qualquer outro produto sobre a lesão;
  • Não rompa as bolhas.
  • Queimaduras por eletricidade: não toque na vítima até retirar de perto da pessoa a fonte de energia. Caso contrário, você poderá levar um choque.
  • Queimaduras por produtos químicos: leia as instruções sobre as medidas que devem ser tomadas no rótulo do produto. Não é recomendado retirar a roupa para evitar o contato do produto com outras partes do corpo.

Convulsões e crises epilépticas

As convulsões e crises epilépticas ocorrem devido ao mau funcionamento do cérebro e podem durar cerca de 3 a 4 minutos. Os primeiros socorros da convulsão devem evitar que a vítima se machuque com a queda e movimentos.

Veja como agir:

  1. Mantenha-se calmo e acalme as pessoas ao seu redor;
  2. Evite que a pessoa caia bruscamente ao chão;
  3. Acomode o indivíduo em local sem objetos dos quais ela pode se debater e se machucar;
  4. Utilize material macio para acomodar a cabeça do indivíduo, como por exemplo; um travesseiro, casaco dobrado ou outro material disponível que seja macio;
  5. Posicione o indivíduo de lado de forma que o excesso de saliva ou vômito (pode ocorrer em alguns casos) escorram para fora da boca;
  6. Afrouxe um pouco as roupas para que a pessoa respire melhor;
  7. Permaneça ao lado da vítima até que ela recupere a consciência;
  8. Ao término da convulsão a pessoa poderá se sentir cansada e confusa, explique o que ocorreu e ofereça auxílio para chamar um familiar. Observe a duração da crise convulsiva, caso seja superior a 5 minutos sem sinais de melhora, peça ajuda médica.

Intoxicação e envenenamento

Ingerir, introduzir ou inalar substâncias tóxicas em quantidades suficientes para causar algum dano ao organismo, seja ele temporário ou permanente, causam envenenamento ou intoxicação. De forma geral, as substâncias mais comuns são: produtos químicos utilizados em limpeza doméstica e de laboratório; venenos utilizados no lar (como raticidas, por exemplo); entorpecentes e medicamentos em geral; alimentos deteriorados e gases tóxicos.

Sintomas do envenenamento por ingestão:

  • Queimaduras, lesões ou manchas ao redor da boca;
  • Odores incomuns na respiração, hálito, corpo, roupas da vítima ou no ambiente; Transpiração abundante;
  • Queixa de dor ao engolir;
  • Queixa de dor abdominal;
  • Náuseas, vômitos, diarreias;
  • Alterações no nível de consciência, sonolência;
  • Convulsões;
  • Aumento ou diminuição do diâmetro das pupilas;
  • Alterações no pulso, na respiração e na temperatura corporal.

Sintomas do envenenamento por contato

  • Manchas na pele;
  • Coceira;
  • Irritação nos olhos;
  • Dor de cabeça;
  • Temperatura da pele aumentada.

Sintomas do envenenamento por inalação

  • Respiração rápida;
  • Tosse;
  • Olhos da vítima frequentemente irritados.

Vale lembrar que os sintomas apresentados acima são os mais comuns, entretanto, podem variar de acordo com o veneno inalado.

Como agir em caso de intoxicação ou envenenamento:

  1. Afrouxe as roupas ou retire-as se estiverem contaminadas;
  2. Nunca provoque vômito;
  3. Em caso de vômito espontâneo, deixe a pessoa de lado;
  4. Remova a pessoa para local arejado;
  5. Inicie massagens cardíacas caso a vítima esteja inconsciente e sem respirar;
  6. Chame socorro especializado para atendimento de emergência

Engasgo

Quando ocorre uma obstrução das vias aéreas devido a presença de algo, como objeto ou alimento, que dificulte ou impeça a respiração, ocorre o engasgo. Os primeiros socorros das vítimas de engas são diferentes para adultos e bebês. Veja como agir em cada um deles:

Adultos

Execute a manobra de Heimlich:

A manobra de Heimlich induz uma tosse artificial com o objetivo de expelir o objeto da traqueia da vítima. Para realizá-la, é necessário colocar-se atrás da vítima, apoiar as duas pernas entre as penas da vítima, posicionar as mãos na região abdominal da pessoa e exercer pressão para comprimir a base dos pulmões. Realize a manobra cinco vezes, com compressão firme e vigorosa. Caso a vítima fique inconsciente, a manobra deve ser interrompida e iniciada a reanimação cardiorrespiratória.

Caso a pessoa fique inconsciente e pare de respirar, chame o serviço de emergência imediatamente.

Bebês de até 1 ano de idade:

Posicione o bebê com a barriga em seu braço e a cabeça no sentido do chão. Use a outra mão aberta para bater até cinco vezes nas costas.

Se não resolver o problema, vire o bebê com a barriga para cima, deite-o e pressione os dedos médio e indicador contra o tórax por cinco vezes.

Infarto do miocárdio

O entupimento dos vasos sanguíneos, impedindo a passagem de sangue ocasiona a morte das células no órgão e, então, o infarto do miocárdio. Alguns fatores de risco da doença incluem:

  • Obesidade;
  • Colesterol elevado;
  • Hipertensão;
  • Tabagismo;
  • Diabetes mellitus;
  • Sedentarismo;
  • Estresse e depressão.

Os possíveis sinais e sintomas de um infarto são:

Sintomas comuns em infartos:

Dor ou desconforto na região peitoral em forma de aperto, podendo irradiar para o braço esquerdo, as costas e o rosto.

  • Suor frio;
  • Palidez;
  • Falta de ar;
  • Sensação de desmaio.

Sintomas atípicos:

  • Dor no abdome, semelhante a dor de uma gastrite ou esofagite de refluxo;
  • Enjoo;
  • Mal-estar;
  • Cansaço excessivo, sem causa aparente.

Como agir em casos de infarto:

Aos primeiros indícios de infarto, é importante chamar uma ambulância para que a pessoas receba o atendimento por profissionais capacitados e, se possível, levá-la para um local arejado e afrouxar as roupas. Verifique se o infartado está com os batimentos e respiração, caso contrário, inicie a massagem cardíaca ou procure alguém que saiba fazê-la.

Hemorragias

As hemorragias são causadas por lesões em alguma parte do corpo que acaba causando grandes perdas de sangue. Além de poder ser interna ou externa, ela pode ser de três tipos:

  • Arterial: caracterizada pela saída intermitente de sangue vermelho brilhante;
  • Venosa: caracterizada pela saída contínua de sangue vermelho escuro;
  • Capilar: caracterizada pela saída de sangue em pequena quantidade.

Primeiros socorros:

  • Eleve o membro onde está o ferimento;
  • Realize compressão com pano limpo na região;
  • Encaminhe o paciente para o hospital em caso de: sangramento com duração superior a 5 minutos após compressão; cortes profundos; caso de amputação de membros; objetos encravados no corte ou caso a vítima esteja inconsciente;
  • Em caso de vítima inconsciente e sem respirar, inicie massagem cardíaca e chame socorro especializado: SAMU. Ligue 192.

Desmaios

O desmaio, ou síncope, se caracteriza pela perda momentânea de consciência. Ele geralmente se inicia com mal-estar e escurecimento da visão.

Sintomas

Os sintomas podem variar, sendo os seguintes os mais comuns:

  • Mal-estar.
  • Perda de consciência.
  • Escurecimento da visão.
  • Respiração superficial.
  • Suor abundante.
  • Relaxamento muscular.

Veja algumas causas que podem levar ao desmaio:

  • Pressão baixa.
  • Jejum prolongado, causando queda da taxa de glicose no sangue (hipoglicemia).
  • Dor muito intensa.
  • Alteração emocional.
  • Desconforto térmico (extremo de frio ou calor).
  • Prática de exercícios físicos por períodos prolongados.
  • Vômitos.
  • Uso de drogas ilícitas.
  • Problemas cardiovasculares, neurológicos, entre outros.

Algumas recomendações nos casos de desmaios são:

  1. Primeiro verifique se há algum risco no local, como escadas, janelas etc. Caso sim, afaste a vítima para um mais seguro.
  2. Deite-a com a barriga para cima e eleve as pernas acima do tórax e eleve as pernas acima do tórax.
  3. Deixa a cabeça de lado para facilitar a respiração e evitar asfixia por vômitos.
  4. Afrouxe as roupas e mantenha o ambiente arejado.
  5. Mantenha a comunicação com a pessoa, mesmo que ela não responda.
  6. Certifique-se que não houve lesões com a queda.
  7. Após a vítima recobrar a consciência, é importante permanecer pelo menos 10 minutos sentada, antes de ficar em pé, para evitar um novo desmaio.
  8. Não deixar a vítima sozinha até a chegada de atendimento médico, caso necessário.
  9. Se tiver o aparelho oximetro, meça a oximetria do sangue

O que não fazer em casos de desmaios:

  • Não jogar água fria no rosto, para despertar.
  • Não oferecer álcool ou amoníaco para cheirar.
  • Não sacudir a vítima.

Brasil Emergências Médicas

Com as informações contidas neste guia, é possível ter uma noção de primeiros socorros e como ajudar uma vítima em situações de emergência até a chegada de um atendimento médico especializado.

Manter a calma nesses momentos e realizar os procedimentos de maneira adequada é primordial para salvar vidas, agindo de maneira ágil e eficaz.

Caso precise chamar o serviço de emergências, conte com a Brasil Emergências Médicas. Basta entrar em contato através do WhatsApp (41) 99909-2580 ou e-mail disponível no site.