O que é oximetria de pulso?

A oximetria de pulso é um método não invasivo que permite a medição da saturação de oxigênio no sangue de uma pessoa, que costuma ser chamada de SpO2 ou “O Quinto Sinal Vital” (os 4 primeiros são seu pulso, temperatura, pressão arterial e frequência respiratória).

Por que os médicos o usam?

A oximetria de pulso é um método usado pelos médicos para avaliação rápida e monitoramento da função respiratória do paciente. Também é usado para determinar quais pacientes podem estar sofrendo de hipóxia e devem fazer exames adicionais.

Como as leituras de SPO2 devem ser interpretadas?

Seu SpO2 é considerado normal quando está acima de 95%. Se estiver em torno de 92% ou menos, seu sangue contém um nível anormalmente baixo de oxigênio e recomendamos que você converse sobre isso com seu médico.

Quando devo medir meu SpO2?

Você pode usar o Pulse Ox para medir o nível de oxigênio no sangue em repouso durante ou após as atividades físicas.

Está tendo problemas para medir seu SpO2?

Um fluxo sanguíneo pobre pode impedir a leitura ou provocar uma medição incorreta. Se seus dedos estão frios, aqueça-os para que o sangue volte às pontas dos dedos e tente novamente.

Fatos sobre hipóxia e hipoxemia A

A hipóxia é uma condição ou estado em que o suprimento de oxigênio é insuficiente para as funções vitais normais – em algumas publicações, esses termos são usados ​​alternadamente.

Existem várias causas potenciais para qualquer tipo de hipóxia. Os sintomas de hipóxia

e/ou hipoxemia podem ser agudos ou crônicos e variam em intensidade de leve a grave.

Os sintomas agudos comuns são: falta de ar, respiração rápida e frequência cardíaca acelerada.

Os sintomas graves incluem: incapacidade de comunicação, confusão, possível coma ou morte, outros sintomas associados também podem estar presentes.

Os sintomas de hipóxia ou hipoxemia em crianças podem ser respiração pela boca e salivação.

Em geral, a hipóxia e/ou hipoxemia é diagnosticada pelo exame físico e pelo uso de monitores de oxigênio (oxímetros de pulso), determinando o nível de oxigênio em uma amostra de gases sanguíneos e pode incluir testes de função pulmonar. O tratamento para a hipóxia e/ou hipoxemia consiste em fornecer oxigênio adicional ao paciente e ao ambiente ou ao corpo (sangue) o mais rápido possível.

As técnicas variam amplamente de acordo com a condição do paciente, mas podem incluir oxigênio por máscara facial ou cânula nasal, ventilação mecânica (intubação), câmara hiperbárica ou outros dispositivos ou medicamentos para abrir as vias aéreas. A hipóxia e/ou hipoxemia pode ser prevenida em alguns indivíduos, evitando circunstâncias que reduzam a concentração de oxigênio nos ambientes ou fornecendo oxigênio antes do desenvolvimento dos sintomas.

O que é hipóxia e hipoxemia?

A hipóxia é uma condição ou estado em que o suprimento de oxigênio é insuficiente para as funções vitais normais.

A hipoxemia é uma condição ou estado em que há um baixo suprimento de oxigênio arterial. A hipóxia às vezes é usada para descrever os dois estados (hipóxia e hipoxemia). Dentro do corpo, a hipoxemia pode levar à hipóxia (hipóxia dos tecidos) em vários tecidos e órgãos, sendo o mais grave a hipóxia cerebral, que pode resultar rapidamente em dano cerebral ou morte.

Por outro lado, se uma pessoa experimenta hipóxia ambiental (oxigênio baixo ou ausente no ambiente de grandes altitudes ou afogamento, por exemplo), a pessoa pode desenvolver hipoxemia.

O que causa hipóxia e hipoxemia?

As causas da hipóxia ambiental e tecidual freqüentemente resultam no estado intermediário de hipoxemia; portanto, as causas de qualquer tipo de hipóxia também são causas potenciais de hipoxemia. Algumas das muitas causas de hipóxia são as seguintes:

Intoxicação química ou gasosa (por exemplo, cianeto, monóxido de carbono). Concentração baixa ou ausente de oxigênio (por exemplo, altas altitudes atingidas sem oxigênio suplementar, como visto em alpinismo e aviação, afogamento ou incêndios)

Problemas pulmonares, por exemplo:

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) Enfisema, Bronquite, Edema pulmonar, Câncer de pulmão, Pneumonia, Apnéia do sono (hipoxemia noturna), Pneumotórax, Asma.

Qualquer medicamento que reduza ou interrompa o esforço respiratório (por exemplo, fentanil, narcóticos)

Problemas cardíacos (por exemplo, bradicardia grave, fibrilação ventricular), Anemia e/ou condições que destroem os glóbulos vermelhos.

Reduzir ou interromper o fluxo sanguíneo arterial para qualquer tecido ou órgão (por exemplo, bloqueio arterial por um coágulo ou lesão como um tiro).

Gostou da dica? Cuide da sua saúde e até a próxima!