Números romanos: Conheça sua origem, conceitos e regras

Os números romanos, ou algarismos romanos, como também são conhecidos, são uma antiga classe de símbolos usados na Europa antiga.

Utilizados até hoje, esses “numerais alfabéticos” continuam a ser importantes no âmbito da matemática.

Abaixo, no decorrer desse artigo, você vai conhecer todos os pormenores que envolvem os números romanos e tudo o que eles representam.

Confira!

Origem dos números romanos

A origem dos números se deu no antigo Império Romano, que comandou a Europa, parte da Ásia e norte da África por centenas de anos.

O sistema era usado pelo governo para fazer o controle, por meio da matemática, de vários aspectos do império e foi popular no velho continente por causa disso.

Contudo, o sistema de algarismos romanos foi substituído pelo sistema de algarismos indo-arábicos, que utilizamos até hoje no ocidente. 

Essa modificação crucial foi motivada por vários fatores, desde a dissolução do Império Romano e a criação do que hoje são os estados nacionais europeus, até a grande influência de asiáticos e árabes na cultura do continente.

De toda forma, a mudança contribuiu muito para a evolução da matemática, pois o sistema composto pelos números romanos impunha dificuldades na hora de se fazer cálculos.

O que são os números romanos: conceitos

Para entender inicialmente o conceito dos números romanos, é necessário compreender a composição do sistema. 

O numerário usado nos antigos domínios dos césares era composto, basicamente, por sete letras que representavam sete números, diferente dos números racionais. Desta maneira:

I: 1;

V: 5;

X: 10;

L: 50;

C: 100;

D: 500;

M: 1000.

A partir desses numerais, outras representações numéricas mais extensas eram articuladas, como vamos ver mais abaixo.

Uma curiosidade interessante sobre o sistema de números romanos é que não existe representação para o 0. 

Como detalhado, números indo-arábicos que possuem o 0 na composição são representados por uma letra, apenas.

Regras dos números romanos

Como dissemos, com base nos sete símbolos que são basicamente sete números em algarismos romanos, todos os outros números são criados.

Porém, algumas regras precisam ser respeitadas, assim como acontece no sistema numérico indo-arábico.

Adição

Uma das regras mais básicas para a adição de numerais romanos é a de que a letra que representa um número maior sempre vem antes da letra com valor menor, em uma lista da esquerda para direita.

Veja esse exemplo:

  • XVI = 10 + 5 + 1.

Subtração

Já para realizar uma subtração, o algarismo que representa o número menor pode vir antes daquele com maior valor representativo.

Veja esse exemplo:

  • IV = 5 – 1 = 4

Vale também destacar que o numeral romano ‘I’ só pode anteceder os numerais ‘X’ e ‘V’. 

Enquanto isso, o numeral ‘X’ segue a mesma lógica, podendo anteceder os numerais ‘L’ e ‘C’, que têm valores superiores.

Por fim, o algarismo ‘C’, que representa o número 100, pode anteceder ‘D’ que representa 500, e ‘M’, que é o último dos sete algarismos romanos e representa o número 1000.

Por fim, é importante frisar que o maior número que pode ser criado a partir dos algarismos romanos é 3999 (MMMCMXCIX). Isso porque, segundo as regras, não se pode repetir quatro vezes o mesmo numeral latino.

As regras de adição e subtração são a base para a formação de qualquer grupo numérico composto por algarismos romanos, inclusive a representação de séculos, anos e outros.

Números em algarismos romanos

Veja abaixo algumas interessantes listas que explicam como converter números convencionais em números romanos.

Saiba como ficam alguns números em algarismos romanos, bem como anos e séculos no antigo modelo de numeração.

Números romanos de 1 a 20

1: I;

2: II;

3: III;

4: IV;

5: V;

6: VI;

7: VII;

8: VIII;

9: IX;

10: X;

11: XI;

12: XII;

13: XIII;

14: XIV;

15: XV;

16: XVI;

17: XVII;

18: XVIII;

19: XIX;

20: XX.

Números romanos de 1 a 1000

Veja agora como ficam representadas as grandes casas decimais em algarismos romanos, a partir do número 20 em diante, até o número 1000.

30: XXX;

40: XL;

50: L;

60: LX;

70: LXX;

80: LXXX;

90: XC;

100: C;

200: CC;

300: CCC;

400: CD;

500: D;

600: DC;

700: DCC;

800: DCCC; 

900: CM;

1000: M.

Anos em números romanos

Veja agora alguns conjuntos de números que representam anos específicos em formato de algarismos romanos.

1500: MD;

1600: MDC;

1700: MDCC;

1800: MDCCC;

1900: MCM;

1910: MCMX;

1920: MCMXX;

1930: MCMXXX;

1940: MCMXL;

1950: MCML;

1960: MCMLX;

1970: MCMLXX;

1980: MCMLXXX;

1990: MCMXC;

2000: MM;

2010: MMX;

2020: MMXX;

2021: MMXXI;

2022: MMXXII.

Séculos em números romanos

Por fim, temos a representação dos séculos em números romanos. Inclusive, hoje em dia ainda é muito comum representar os numerais de séculos com os símbolos do antigo império latino.

XI (século 11): de 1001 a 1100;

XII (século 12): de 1101 a 1200;

XIII (século 13): de 1201 a 1300;

XIV (século 14): de 1301 a 1400;

XV (século 15): de 1401 a 1500;

XVI (século 16): de 1501 a 1600;

XVII (século 17): de 1601 a 1700;

XVIII (século 18): de 1701 a 1800;

XIX (século 19): de 1801 a 1900;

XX (século 20): de 1901 a 2000;

XXI (século 21): de 2001 a 2100.

Conclusão

Neste rico compilado de informações, é possível entender várias coisas e sanar diversas dúvidas acerca dos números romanos. 

Perguntas como ‘o que são números romanos?’ e questionamentos sobre converter numerais comuns em números romanos, por exemplo, foram com certeza sanados.

Dessa forma, a importância desse assunto matemático fica bem representada em um material rico disponível a todos. 

Leia também: Máquina de Café Moído na Hora: Qual escolher?