Sisu: O que é e como funciona o programa?

Quem está participando do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que teve início neste mês de janeiro, deve ficar atento ao Sisu. Esse é o Sistema de Seleção Unificada e é muito importante na conquista da vaga universitária.

Ele entrou em vigor em 2010 e, desde então, permite que o aluno utilize a nota do Enem para se candidatar para mais de um curso ou universidade. Essa medida, que teve adoção por algumas universidades, é bastante importante nesse momento.

Afinal, o aluno aumenta suas chances de conquistar uma vaga nas instituições públicas de ensino superior com uma única nota. Em outras universidades, ainda, pode usar parte da nota do exame nacional para complementar a do vestibular.

Abaixo, conheça melhor esse programa, como ele funciona, quem pode fazer uso dele e outras informações relevantes.

Entenda o que é o Sisu e como ele funciona

O Sisu teve sua criação junto a de alguns programas de bolsa do Governo. Contudo, enquanto estas apenas se referem às instituições privadas, o sistema de notas se aplica para as vagas das instituições públicas.

Ou seja, ele garante vaga para o aluno nas universidades que pertencem aos governos federais ou estaduais e que não possuem mensalidade. Entretanto, vale lembrar que as instituições geralmente são autarquias, funcionando de forma independente. 

Nesse sistema, a nota do exame nacional que avalia os estudantes do ensino médio se aplica para a avaliação das universidades públicas, portanto. Afinal, cabe lembrar que essa prova avalia conhecimentos em matemática, geografia e história.

Igualmente, analisa a sabedoria do estudante em outras matérias exatas e humanas, bem como redação. Ou seja, ele traz questões que abarcam a maioria dos conhecimentos que também entram em avaliação nos vestibulares.

O Sisu, então, inova ao permitir que o aluno não precise realizar o vestibular em uma universidade para poder se candidatar a uma vaga nela. Em verdade, basta ter uma nota no exame nacional.

Contudo, cabe ressaltar que não são todas as universidades que adotam esse sistema. Enquanto algumas apenas fazem uso dele para parte da nota, outras o utilizam para uma parcela das vagas.

Veja, assim, como as universidades o utilizam, no geral:

  • Avaliação de todas as vagas para preenchimento a partir da nota do Enem;
  • Uso parcial das vagas com destino ao Enem, sendo que as demais têm preenchimento por meio do vestibular;
  • A última forma é a aplicação da nota do Enem apenas para compor parte da avaliação. Aqui, o Sisu precisa de complemento pelo vestibular. Por exemplo, a Universidade Federal do Paraná oferta 10% de suas vagas para preenchimento integral do Enem e, também, usa a nota deste exame como 10% da avaliação de todos os candidatos. Assim, por exemplo, quem tenta a vaga normal tem 90% da nota a partir do vestibular e os outros 10% são proporcionais à nota do Enem.

Quem pode utilizar a nota do Enem para o Sisu?

Todas as pessoas que fizerem a prova do ensino médio podem utilizar a nota dele para se candidatar às vagas em universidades que usam o Sisu. Portanto, diferentemente do que muitos pensam, o programa não é exclusivo aos egressos do ensino médio.

Mesmo quem já tem alguma graduação ou, ainda, quem concluiu o ensino médio há algum tempo, mas ainda sonha com o diploma universitário, pode fazer uso do programa.

Contudo, vale ressaltar que quem fizer a prova do exame nacional na categoria treineiro não pode utilizá-la para o Sisu. Essa categoria do Enem é exclusiva para quem apenas quer testar conhecimentos e, portanto, não tem aplicação para conquista da vaga universitária.

Quanto ao restante dos candidatos, todos podem se utilizar do sistema unificado de notas e, com isso, buscar a vaga.

Nota de corte do Sisu

Atualmente o estudante e candidato à vaga universitária tem direito a se candidatar a duas vagas simultaneamente por meio do sistema. Assim, ele dobra suas chances de conseguir entrar na faculdade.

Mas como funciona o sistema? Ao disponibilizar vagas a universidade tem à disposição notas altas e outras menores. Assim, as maiores determinam a maior nota para entrada, enquanto a menor das notas a ainda conseguir uma vaga é a nota de corte.

Ela é o limite mínimo para a conquista de vaga naquele curso. Afinal, cada curso tem sua nota de corte, assim como eles variam bastante de acordo com a universidade.

É importante ressaltar que o aluno que optar pelo Sisu acompanha a nota de corte desde a sua inscrição até o dia final de definição dos candidatos com aprovação. Por isso, ele pode mudar o curso ou universidade que selecionou de início.

Isso é importante para que o aluno saiba melhor como está sua avaliação e, assim, possa mudar suas opções para aquelas que eram sua terceira, quarta ou até quinta opção. 

Com isso os candidatos aproveitam melhor o Sisu e, ainda, aumentam as chances de conquistar o diploma de terceiro grau!