O que é o Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação (GHS)

Os produtos químicos trouxeram grande avanço para a indústria e são utilizados na produção comercial. Contudo, eles são materiais que demandam muito cuidado e atenção. Por esse motivo, o sistema GHS e FISPQ são usados para garantir o máximo de informações de segurança durante o uso e manuseio de produtos químicos.

O sistema GHS de rotulagem e classificação de produtos químicos protege os funcionários responsáveis pelo manuseio, armazenamento ou transporte das composições químicas, assim como o meio-ambiente.

Leia aqui as principais informações sobre o Sistema GHS e FISPQ e veja como a tabela classificação GHS é utilizada.

O que significa a sigla GHS?

A sigla GHS significa Globally Harmonised System, o nome completo do sistema em português é Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos.

É uma classificação determinada em classes para substâncias e compostos químicos, na qual ficam esclarecidos os perigos físicos, perigos à saúde humana e perigos ao meio ambiente.

Por que o Sistema GHS foi criado?

O GHS é uma recomendação da ONU (Organização das Nações Unidas) assinada na Convenção 170 convocada pela Organização Internacional do Trabalho.

O GHS significado principal foi uma padronização de rotulagem dos produtos químicos que, consequentemente, aumentou a segurança dentro das empresas de produtos químicos, dos laboratórios e, até mesmo, das residências que utilizam as composições com rótulos de segurança.

Outro fator relevante na criação de um sistema global de segurança de componentes químicos foi a comunicação das informações dos materiais para o comércio internacional.

Quais as classes do Sistema GHS?

A tabela classificação GHS é dividida em três grupos que especificam os perigos dos produtos químicos. Confira a tabela classificação GHS e suas principais classes:

Perigos físicos

  • Explosivos;
  • Gases inflamáveis;
  • Aerossóis;
  • Gases oxidantes;
  • Gases sob pressão;
  • Líquidos inflamáveis;
  • Sólidos inflamáveis;
  • Substâncias e misturas autorreativas;
  • Líquidos pirofóricos;
  • Sólidos pirofóricos;
  • Substâncias e misturas sujeitas a autoaquecimento;
  • Substâncias e misturas que, em contato com a água, emitem gases inflamáveis;
  • Líquidos oxidantes;
  • Sólidos oxidantes;
  • Peróxidos orgânicos e Corrosivo aos metais.

Perigo à saúde humana

  • Toxicidade aguda;
  • Corrosão/Irritação da pele;
  • Danos/irritação séria nos olhos;
  • Sensibilização respiratória ou dérmica;
  • Mutagenicidade em células germinativas/Carcinogenicidade/Toxicidade à reprodução;
  • Toxicidade sistêmica em órgão alvo – exposição única;
  • Toxicidade sistêmica em órgão alvo – exposição múltipla/Perigoso por aspiração.

Perigo ao Meio Ambiente

  • Perigo ao ambiente aquático agudo;
  • Perigo ao ambiente aquático crônico;
  • Toxicidade aquática crônica;
  • Potencial de bioacumulação e Degradabilidade rápida.

Quais definições do Sistema GHS são utilizadas na FISPQ?

O GHS no Brasil foi indicado pelo governo em 2011 na Norma Regulamentadora NR 26 sobre Sinalização de Segurança.

O Ministério do Trabalho e Emprego estabeleceu que a rotulagem preventiva, a classificação dos perigos físicos para o trabalhador e o conteúdo da ficha de segurança devem seguir a tabela classificação GHS para produtos químicos em território nacional. 

FISPQ e Sistema GHS: quais as diferenças?

As informações do GHS e FISPQ são importantes e complementares. Mas as principais diferenças entre GHS e FISPQ são que o Sistema Globalmente Harmonizado indica a sinalização dos produtos químicos a partir de diversas classes e categorias de perigos físicos, perigos à saúde e perigos ao meio ambiente.

Já a Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico conta com 16 seções de preenchimento obrigatório que abordam, por exemplo, a identificação do produto, composição das substâncias químicas, medidas em caso de primeiros-socorros, medidas em caso de incêndio, dentre outros dados.

O que é NBR 14725?

NBR 14725-4 é a norma regulamentadora da ABNT que determina a utilização correta da FISPQ para substâncias químicas puras e misturas.

Qualquer produto químico perigoso deve ser comercializado com as informações de manuseio, contato e transporte estabelecidos pela Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos.

Como o GHS é adotado ao redor do mundo?

O uso do GHS ONU não é obrigatório para os países, mas é recomendado. Assim sendo, os países passaram a adotar o Sistema Globalmente Harmonizado em seus sistemas de segurança química.

O Brasil adotou esse sistema de segurança após a NR 26 e da ABNT 14725-4. Além disso, desde 2008, a União Europeia já utiliza o GHS em seu sistema de segurança de produtos químicos. A agência OSHA (Occupational Safety and Health Administration) também faz uso do sistema de rotulagem da ONU nos Estados Unidos.

Como resultado dos esforços da ONU, o GHS vem sendo implementado como a classificação global dos produtos químicos, garantindo a segurança e proteção humana e do meio ambiente.

Aproveite para deixar aqui seu comentário sobre o GHS e FISPQ e veja mais informações sobre a Ficha de Informação de Segurança no artigo FISPQ: minimize acidentes com produtos químicos.

Comentários estão fechados.