Quando devo fazer um projeto preventivo contra incêndios?

O projeto preventivo contra incêndios, como o próprio diz é uma forma de evitar acidentes e não apenas combatê-los. Ele é criado por um profissional apto, como o engenheiro, para dimensionar em uma construção o tamanho, tipo e local dos componentes do sistema de prevenção de incêndio. Por meio dele serão definidas as saídas de emergência, assim como suas sinalizações, localização de extintores, entre outros.

Todas as construções correm riscos de incêndio, seja por causas naturais, como raios ou originárias do próprio ambiente. Mas como saber quando fazer o projeto preventivo contra incêndios? Saiba mais lendo esse artigo.

Importância do projeto de prevenção contra incêndios

No Brasil, o projeto de prevenção contra incêndios está se tornando cada vez mais presente nas construções. Pelo fato de a principal causa das mortes ser a exposição à fumaça, o projeto deve ser feito pensando também em como o indivíduo irá deixar o ambiente o mais rápido possível. Ele deve ser incluído desde o começo da obra em conjunto com os projetos arquitetônico, elétrico, hidráulico, estrutural, entre outros

Como se sabe, locais que possuam grande circulação de indivíduos precisam investir no projeto de prevenção contra incêndios, o qual deve ser feito somente por um profissional especializado já que é ele quem irá cria-lo de forma segura e de acordo com as normas.

Contudo, esse projeto não é somente para atender regras do Corpo de Bombeiro. Acima de tudo está a vida e a segurança das pessoas que frequentam o estabelecimento, sendo um verdadeiro investimento para prevenção de acidentes com fogo. É importante além de combater, entender suas causas e é por isso que o projeto existe. Isso porque o incêndio não controlado pode destruir tudo o que tocar, sendo os sistemas fundamentais para salvar vidas.

Por meio do projeto são criados sistemas correlacionados que têm como objetivos diminuir o risco de incêndio, controlar o mesmo quando está em estágio inicial, evitar que ele se espalhe (limitando a área com corta-fogo), criar saídas de emergência funcionais, facilitar o combate ao incêndio, entre outros.

Quando fazer?

Agora que você entendeu que o projeto preventivo contra incêndio é imprescindível para salvar vidas, é preciso saber se você precisa incluí-lo em sua edificação.

Por mais que seja bom senso criar um projeto preventivo e o mesmo deveria fazer parte de todos os estabelecimentos públicos, a lei, no entanto, determina para alguns casos:

  • Prédios comerciais de serviços ou locais que recebem uma concentração de pessoas igual ou acima de 100 frequentadores, seja coberto ou descoberto.
  • Locais em que circulam, em sua maioria, idosos, portadores de deficiência ou crianças, mesmo em quantidade menor que 100 pessoas;
  • Edifícios que contenham em seu interior grandes quantidades de inflamável;
  • Imóveis públicos ou locais ocupados por órgãos governamentais.

É importante deixar claro que as legislações são estaduais e para entender como deve ser feito o projeto preventivo contra incêndios é preciso verificar as leis de acordo com seu estado.

Quem pode elaborar o projeto de prevenção contra incêndio?

Como falado, o projeto pode ser elaborado somente por profissionais habilitados, ou seja, com nível superior e credenciados no Conselho Geral de Engenharia e Agronomia. Além disso, o mesmo deve ter autorização para realizar e assinar a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) que nada mais é do que uma forma de definir quem serão os responsáveis técnicos por alguma obra ou prestação de serviços. O Técnico em Segurança, se registrado no CREA e apto a emitir ART também pode realizar o projeto de prevenção contra incêndios.

Esse profissional, além de criar o projeto, irá implementar as medidas de segurança necessárias e realizar qualquer mudança solicitada pelo Corpo de Bombeiros, que é o órgão responsável pela fiscalização e controle.

Elementos necessários

Além das normas atendidas, cada estado define algumas regras para implementar um sistema preventivo contra incêndio, precisando estar atento às exigências de cada um deles. Contudo, um sistema eficiente pode ter:

  • Redes de Hidrantes;
  • Extintores;