Connect with us

Mundo

Operadores de jatos particulares estão roubando passageiros das companhias aéreas dos EUA

Published

on

Operadores de jatos particulares estão roubando passageiros das companhias aéreas dos EUA

Quando a maior parte das viagens aéreas nos Estados Unidos efetivamente parou em março, alguns operadores de jatos particulares temeram o pior, esperando que o coronavírus, junto com a recessão que se aproximava, dizimaria seus negócios. Em vez disso, para muitos, o verão de 2020 se manteve surpreendentemente bem. “Os negócios estão muito bons, melhores do que o esperado”, disse Gregg Slow, presidente da FXAir, uma empresa de fretamento de propriedade da Directional Aviation, uma das maiores marcas da aviação privada. “Tivemos nosso melhor mês da história da empresa em junho, seguido pelo segundo melhor mês em julho, em receita.

O que normalmente seria de 8 a 10 por cento dos novos negócios agora é 50 a 60 por cento dos novos negócios. ” As razões são previsíveis. Muitos consumidores não se sentem confortáveis ​​voando em um avião comercial e, embora a grande maioria dos americanos não possa pagar voos em jatos particulares, aqueles que podem, cada vez mais, procuram por eles. Eles preferem pagar uma fortuna – viajar de jato pode custar 10 vezes ou mais o preço de uma tarifa doméstica de primeira classe – do que cancelar suas férias de verão.

A grande questão é quanto tempo durarão os (relativamente) bons tempos. Alguns executivos de empresas de jatos particulares dizem esperar que a demanda continue alta após o verão, em parte porque os consumidores que começam a voar em jatos particulares raramente querem voltar às viagens comerciais. A multidão pró-jato aponta para um estudo da McKinsey mostrando apenas cerca de 10 por cento das pessoas que podem pagar para voar em privado realmente o fazem.

Os executivos de empresas de jato calculam que qualquer pessoa com renda investível de mais de $ 10 milhões – uma soma considerável, com certeza – está pronta para empresas como a FxAir e um concorrente, a XOJet Aviation. “Depois que você começa a voar com privacidade, é difícil voltar atrás”, disse Doug Gollan, que dirige um site chamado Private Jet Card Comparisons. “As pessoas vão de‘ Eu nunca gastaria tanto dinheiro ’para se tornarem usuários regulares rapidamente. Uma vez que os novos clientes não procuram moedas no sofá para financiar seus voos privados, eles podem pagar por isso.

Eles apenas escolheram anteriormente não gastar o dinheiro, acho que é seguro presumir que uma quantia decente continuará voando em particular, mesmo após Covid – 19. ” Charter Business Strong O negócio de jatos particulares é surpreendentemente complicado, mas tem cerca de quatro pontos de entrada. Algumas das pessoas mais ricas compram e mantêm seus próprios aviões, a um custo de dezenas de milhões de dólares.

Outros compram uma parte fracionária de um avião por meio de empresas como a NetJets ou Flexjets, geralmente recebendo ações de 1/8 a 1/2 do custo total do avião. Outro grupo compra cartões que permitem a utilização de um avião por um determinado número de horas. Todos esses segmentos de negócios estão se mantendo bem. Mas o maior crescimento, dizem os executivos, está chegando no negócio de fretamento, à medida que novos clientes alugam um jato para uma ou duas viagens.

Ao contrário de alguns outros tipos de aviação privada, fretar um avião exige pouco compromisso. Às vezes, as pessoas fazem isso de forma pontual, enquanto outras vezes se comprometem a depositar uma quantia definida, que podem usar para várias viagens. A FxAir, que até recentemente se chamava PrivateFly, está no negócio de charter e, após um verão forte, a empresa tem uma perspectiva otimista. Dada a natureza do negócio, é possível que alguns clientes usem o serviço uma ou duas vezes e nunca mais voltem, mas Slow, que trabalha no setor há duas décadas, disse que o novo grupo de clientes é surpreendentemente persistente. “Há um relacionamento conosco de forma muito diferente do que no passado”, disse ele. “Eles reservariam a viagem, pagariam por ela e talvez você recebesse notícias deles, talvez não. Agora, eles querem colocar dinheiro em contas.

Muitos desses clientes estão procurando fazer mais negócios de longo prazo conosco, em vez de transações rápidas. Eles também estão fazendo sua lição de casa. ” Muitos prospectos panfletos privados estão chegando por meio de referências, e muitos já voaram antes, geralmente como convidados. Alguns são imunocomprometidos ou vivem com alguém que, segundo ele, acredita que jatos particulares são mais seguros. “Várias pessoas estão vindo do comercial”, disse Andrew Collins, CEO da FxAir. “Eles vão pagar o prêmio. Eles não confiam no comercial neste momento, dado o contexto de suas vidas e sua saúde. ” Na XO, a situação é semelhante. Depois de março e abril lentos, os negócios aumentaram consideravelmente, com muitos clientes de primeira viagem voando para lugares como Bozeman, Montana e Jackson Hole, Wyoming, disse Todd Hattaway, vice-presidente sênior. “Estamos colocando mais aeronaves e mais voos do que no ano passado”, disse ele.

O que vem depois? O CEO da FxAir, Collins, admite que não esperava por isso. “Eu diria que, tendo passado pela aviação privada em crise financeira, estávamos nos preparando para uma queda vertiginosa”, disse ele. “Não tínhamos certeza de para onde estava indo. Vê-lo voltar e estar em níveis que você veria na pré-pandemia foi uma lição realmente interessante aprendida. Acho que foi inesperado. ” Seu negócio pode ter voltado aos níveis pré-pandêmicos, mas nem tudo é perfeito em todo o setor, de acordo com os cálculos de Gollan. Ele estima que as viagens em jatos particulares nos Estados Unidos estão seguindo em pouco mais 80 por cento de seus níveis pré-Covid, embora ele tenha dito que há semanas esteve acima dos anos anteriores. Durante o feriado de 4 de julho, disse ele, a demanda cresceu 5% em relação ao ano anterior.

Os viajantes a lazer têm impulsionado a maior parte do crescimento. Mas, na maioria das vezes, os viajantes de negócios não voltaram. No passado, Hattaway da XoJet disse que os viajantes a negócios embarcariam em jatos aos domingos em aeroportos no sul da Califórnia, na área de Nova York e no Texas para chegar às reuniões daquela semana. “Os grupos de private equity não estão saindo e atingindo várias cidades como costumavam fazer”, disse ele. Eles poderiam voltar. Há muito que as pessoas exaltam o luxo dos jatos particulares e, mais recentemente, muitos têm falado sobre os jatos como uma alternativa mais segura às viagens aéreas. Mas há outra razão pela qual os consumidores gostam de voar de forma privada – eles podem acessar mais aeroportos, reduzindo o tempo de viagem. Para viajantes de negócios ocupados, essa é a chave.

A questão do tempo em breve pode se tornar um fator mais importante. As companhias aéreas dos Estados Unidos já cortaram o serviço para alguns mercados menores e podem reduzir ainda mais uma vez que não sejam mais cobertas pelas regras da Lei CARES, que exigem que atendam à maioria dos mercados para os quais voaram antes da pandemia. Se for impossível para as pessoas irem de Nova York ou L.A. para algumas cidades dos EUA, de forma eficiente, mais viajantes podem recorrer a jatos particulares. “Acho que houve uma nova onda”, disse Hattaway. “Isso é longo prazo ou não? Eu não sei. É vago. Mas o mercado comercial está se livrando dos mercados secundários, e você pode não ter a frequência que costumava ter. Acho que isso vai conduzir a algum comportamento por um bom tempo. ” Até certo ponto, os operadores de jato têm controle limitado.

Se os mercados financeiros caírem vertiginosamente, alguns passageiros podem decidir que preferem ficar em casa a pagar $ 31, 900 (preço fixo unilateral da FXAir) por um voo cross-country. Ou a pandemia pode acabar mais cedo do que o esperado, e as pessoas podem decidir novamente que estão dispostas a voar em um avião comercial por uma fração do custo. Ou os consumidores podem começar uma reação contra a aviação privada porque ela não é ecologicamente correta. Entre os riscos, uma grande queda do mercado ou uma recessão maciça e sustentada podem ter o maior efeito. Mesmo assim, Gollan disse suspeitar que muitas pessoas ultra-ricas continuarão com voos privados. “Há muitas pessoas que estão indo bem”, disse ele. “Enquanto houver pessoas que estão indo bem ou não foram afetadas ou seu patrimônio líquido for tão grande que não importa, acho que a aviação privada continuará a ver um influxo de gente nova.”

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Setor de viagens cria guia para recuperação de toda a cadeia de viagens em um mundo pós-pandemia

Com base em pesquisas de viajantes, fornecedores e agências de viagens, a empresa líder em tecnologia de viagens Travelport lançou recentemente seu “Guide to Travel Recovery”.

Published

on

Tem sido um ano complexo para o setor de viagens. Mas agora, com a reabertura das fronteiras, as frotas de aviões decolando novamente e o movimento retornando gradativamente em todo o mundo, o setor começa a olhar os melhores passos para a recuperação.

Com base em pesquisas de viajantes, fornecedores e agências de viagens, a empresa líder em tecnologia de viagens Travelport lançou recentemente seu “Guide to Travel Recovery”. O guia ministra perspectivas internas sobre o estado atual e futuro do setor, com pareceres cruciais sobre como fazer o setor voltar a se mover.

Em todas as principais áreas de viagens – aéreo, hoteleiro, automóvel, organizações de marketing de destino (DMO) e agências de viagens – o SkiftX apresenta os principais temas do guia.

EMPRESAS AÉREAS

Com as viagens aéreas no centro da recuperação pós-pandemia, as companhias aéreas e os aeroportos estão restaurando a confiança do consumidor por meio de procedimentos de higiene rígidos, tanto no solo quanto no ar.

Diversos viajantes estão preparados para voar novamente, mas apenas se tiver medidas de segurança específicas em vigor: limpeza aprimorada durante e entre voos, higienização do aeroporto, distanciamento social, verificações de temperatura, check-in sem contato, filtragem de ar durante o voo, uso obrigatório de máscara e embarque à distância processos.

As companhias aéreas e os aeroportos agora precisam garantir que as medidas de segurança em todos os pontos de contato da viagem sejam documentadas e informadas de forma eficaz aos viajantes.

“… estamos colocando mais ênfase na educação e na construção de confiança no cliente em termos de quão segura é a viagem aérea […] trabalhando com os fabricantes para mostrar como o ar é filtrado pela aeronave, para garantir que nossos clientes estejam cientes e confiantes que as viagens aéreas ainda são seguras ”, disse Kenneth Chang, vice-presidente executivo da Korean Air.

HOTEIS

A fim de ponderar fazer uma reserva, 73 por cento dos entrevistados no guia almejavam ver um programa de limpeza profunda e higienização.

A prioridade do consumidor agora inclui check-in sem contato, procedimentos de distanciamento social e limpeza intensa, bem como vedações de portas de quartos, higienização constante em áreas públicas, EPI aprimorado, barreiras de acrílico e procedimentos revisados ​​para ofertas de alimentos e bebidas. Tudo isso provavelmente fará parte do ‘novo normal’.

Os parceiros do hotel também reconheceram a obrigação de fornecer uma comunicação forte sobre as medidas de segurança, desde a reserva até o check-out, como uma forma de reforçar fortemente a confiança do cliente.

ALUGUEL DE CARROS

Os protocolos de coleta e entrega são as principais áreas de preocupação para os viajantes, com 72% dos viajantes apoiando a desinfecção total entre os aluguéis, amplo aparelhamento de EPI na coleta e entrega e mínima interação humana no local.

As locadoras agora estão aderindo aos mais elevados padrões de limpeza, proporcionando experiências sem contato ao viajante por meio de maior digitalização, oferecendo maior flexibilidade e transparência nas taxas e políticas.

Os parceiros neste setor viram a comunicação com o cliente como fundamental para restaurar a confiança, ao mesmo tempo que destacam a seriedade de investir em dados externos e intersetoriais para avaliar melhor as tendências emergentes do consumidor (por exemplo, das companhias aéreas).

DISPOSIÇÕES DE MARKETING DE DESTINO

Definidos para ser uma força motriz por trás da recuperação da indústria, à medida que os viajantes procuram por eles para obter informações precisas e atualizadas sobre números de casos, requisitos de entrada e saída, exames de saúde e arranjos de quarentena.

As áreas de importância para DMDs incluem garantir o apoio do governo, estabelecer uma forte ligação com os agentes de viagens para agilizar as comunicações, colaborar com parceiros fornecedores e refinar estratégias digitais. Obter acesso a dados confiáveis ​​é fundamental para identificar tendências emergentes de viagens.

AGÊNCIAS DE VIAGEM

As agências de viagens provavelmente serão ainda mais buscadas, com os consumidores buscando por elas em procura de insights de especialistas e informações atualizadas do setor. Segmentos de mercado mais jovens devem liderar a nova demanda neste setor.

“Precisamos nos comunicar melhor e aconselhar nossos clientes sobre o que eles precisam estar cientes [medidas de segurança]. No lado corporativo, queremos buscar novas maneiras de envolver nossos clientes de uma perspectiva digital, para permitir que suas reservas e arranjos sejam muito mais coordenados ”, disse o Diretor Executivo, Chefe de Negócios, UOB Travel, Steven Ler.

Enquanto as viagens internacionais estão apenas despertando, as viagens domésticas estão mostrando sinais de aumento, uma convergência que possivelmente se manterá enquanto as dúvidas nas fronteiras permanecerem.

À medida que o mundo se adapta ao home office, as viagens de lazer estão voltando muito mais rápido do que as viagens de negócios, com frações de mercado mais jovens liderando a demanda.

Provedores e agências fariam bem em manter a flexibilidade em torno de políticas e preços, abraçar o varejo online e processos sem contato, enquanto aplicam novas fontes de dados para dados emergentes do consumidor.

A maioria dos viajantes expressou disposição para considerar a fazer reserva novamente, desde que os fornecedores implementem fortes requisitos de segurança e higiene e garantam por comunicação em cada etapa do caminho.

Continue Reading

Mundo

BMW i3: A produção aumentou devido à alta demanda

Published

on

BMW i3: A produção aumentou devido à alta demanda

Em 2020, você quase só ouve falar de interrupções na produção, mas também há exceções – como o BMW i3. O carro elétrico, que foi lançado no mercado no final de 2013 – e foi renovado várias vezes desde então – desafia a pandemia.

De acordo com um relatório da BimmerToday, a produção do BMW i3 na fábrica de Leipzig foi aumentada. Com o cancelamento das férias de verão de uma semana, o BMW Group está reagindo ao aumento mundial na demanda por carros elétricos. No entanto, devido à longa interrupção da produção no segundo trimestre, pouco mais de 12, 500 BMW i3s foram construídos entre janeiro e julho deste ano . Em 2019, a planta de Leipzig fabricou 38, 937 unidades da i3.

Este número de vendas não pode mais ser alcançado em 2020 mesmo com alta utilização da capacidade nos meses restantes. Mas o aumento significativo da capacidade de produção, em comparação com o plano original para o segundo semestre de 2020, é, no entanto, um sinal muito positivo nas actuais circunstâncias. Assim como outros carros elétricos, o BMW i3 também se beneficia de vários programas de subsídios em alguns mercados.

Na Alemanha, os clientes i3 podem receber até 9, 000 euros em subsídios com o bônus ambiental recentemente aumentado. Há também uma redução do IVA, atualmente em 16 por cento. Todas as versões do i3 usam uma bateria Ah 120 com uma capacidade de bateria de 42. 2 kWh. De acordo com o NEDC, a energia que pode ser armazenada na bateria de íon-lítio é suficiente para uma faixa de 330 a 359 quilômetros; no ciclo WLTP mais prático, os i3 e i3s têm faixas entre 278 e 307 quilômetros.

Continue Reading

Mundo

Brad Pitt namorando uma modelo de 27 anos

Published

on

Brad Pitt namorando uma modelo de 27 anos

A nova namorada de Brad Pitt foi revelada.

O ator de Hollywood está namorando a modelo alemã Nicole Poturalski, depois de serem fotografados juntos em férias no sul da França. Apesar da Organização Mundial da Saúde aconselhar as pessoas a não viajarem em meio à pandemia de coronavírus, Brad, 56 e Nicole, 27, voaram para seu antigo castelo que possuía com a ex-esposa Angelina Jolie.

O par foi visto pela primeira vez em um camarote VIP em um show do Kanye West em LA em novembro 2019, mas o romance deles só foi confirmado agora. Nicole é uma das melhores modelos alemãs | INSTAGRAM “Eles estão se vendo, estão curtindo as férias juntos”, disse uma fonte ao Page Six. O novo casal está hospedado no Château Miraval, uma propriedade que ele comprou por $ 67 milhões com sua ex-irmã Angelina.

Fotos de Brad e da modelo circularam esta semana, mostrando a dupla saindo de um jato particular na França. Eu sei que você vai achar isso tão difícil de acreditar, como se você nunca pudesse ter imaginado … mas Brad Pitt aparentemente está namorando uma modelo.

Continue Reading

Trending